História da navegação no Brasil e no mundo

História da navegação no Brasil e no mundo

O ato de navegar é tão importante que está marcado na evolução de todo o mundo. Afinal, foi isso que impulsionou a globalização e possibilitou a união de pontos entre o globo terrestre. Dessa forma, a história da navegação se confunde com a história de formação das novas terras e culturas. 

Se você se interessa pelo tema e quer saber mais, continue a leitura! 

A EVOLUÇÃO DA NAVEGAÇÃO 

A evolução das técnicas de navegação ocorreu lentamente e acompanhou o desenvolvimento da tecnologia. Pensando nisso, listamos a seguir dois aspectos que transformaram a forma de viajar pelos mares: 

Na Antiguidade, o remo era o instrumento utilizado para garantir o deslocamento das embarcações. Já na Idade Média, começaram a utilizar a vela única, que foi evoluindo até multiplicar o número de velas e mastros entre os séculos XVI e XVIII e desenvolver a propulsão a vapor no século XIX. 

No século XIII, as técnicas de navegação eram empíricas, mas do século XIII ao século XV popularizou-se o uso da bússola e da carta de marear. Desse período até o século XVIII, era utilizada a navegação astronômica por latitudes, que depois passou para latitudes e longitudes. Hoje, a navegação baseia-se principalmente no uso de um rádio eletrônico, que proporciona uma experiência cada vez mais precisa.

A HISTÓRIA DA NAVEGAÇÃO PELO MUNDO

1. Antiguidade

A história da navegação começou na Antiguidade, com as pequenas navegações realizadas pelos povos da Mesopotâmia com o objetivo de fazer trocas comerciais, conquistas territoriais e até mesmo batalhas navais. 

Nesse período, os egípcios também começaram a dominar o Rio Nilo para se locomoverem ao longo do país e os fenícios tomaram o Mar Mediterrâneo, assim como os gregos e romanos, que se lançaram neste mar e chegaram à costa africana pelo Mar Vermelho.

2. Idade Média 

Os vikings ficaram muito populares entre os séculos VIII e XI por terem barcos muito ágeis e fáceis de manobrar, o que permitiu que explorassem o Atlântico Norte.

Nessa época, também eram comuns as navegações europeias, que possuíam conhecimentos náuticos obtidos através de documentações da Idade Antiga. Com isso, eles sabiam os limites entre o continente dos cristãos e dos povos que não eram colonizados nem cristãos.

3. Era Feudal

As Grandes Navegações, realizadas entre os séculos XV e XVII, tiveram início com os portugueses e, posteriormente, os espanhóis e outros povos europeus. Período muito conhecido na história da navegação, ele proporcionou novas rotas comerciais e relações com os continentes africano, americano e asiático devido à comercialização de metais preciosos e especiarias. 

Por meio dessas rotas, foi possível mapear o mundo, promover contato cultural com outros territórios e demarcar fronteiras.

4. Idade Moderna

As navegações do século XV marcaram também o surgimento de movimentos como o Renascimento e o Humanismo, que estimularam o crescimento intelectual e científico. Com isso, as plantas, animais e alimentos dos continentes descobertos passaram a ser documentados e transportados para estudo. 

Além disso, a descoberta de novos continentes incentivou a globalização, movimentou o comércio global de ouro, prata e cana-de-açúcar e definiu alimentos muito importantes para o cotidiano.

A história da navegação é marcada por vários acontecimentos que proporcionaram negócios altamente lucrativos e interligou o mundo. Mas as evoluções não param por aí: é por isso que a tecnologia náutica se desenvolve continuamente, oferecendo equipamentos que promovem mais segurança, produtividade e conforto para quem quer viver experiências em alto-mar. 

Para mais conteúdos e informações do mundo náutico, continue acompanhando nosso blog e fique de olho em nosso Instagram. E na hora de escolher uma empresa de confiança para fazer seu passeio de barco, conte com a Odisea para ter os melhores barcos, roteiros e dicas para você aproveitar ao máximo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *